segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

fim do mundo


As pessoas tem diversos conceitos sobre o fim do mundo. Uma boa parte acha que Deus terá alguma coisa a ver com o fim do mundo, acreditam em textos antigos, diversas culturas ao longo dos séculos formou juntamente com a religião o conceito de que haverá um fim do mundo nos moldes de um julgamento Divino. Muitos religiosos esperam um fim do mundo com entrada triunfal de um Cristo e recompensados da mais diversas formas que a cultura da religião já concebeu. Uns creem que serão arrebatados antes até de que esse mundo físico seja completamente destruído, outros, que serão sobreviventes e que todas as outras pessoas serão destruídas por serem indignas e sob a benção de Deus reconstruirão uma nova Terra.
Os religiosos não conseguem explicar o porquê Deus esteve presente no passado mas agora está ausente. Insinuam milagres de cura entre eles, mas nunca apresentaram um milagre concreto de ressurreição ou de multiplicação de itens de primeira necessidade para as pessoas que passam por apuros em países com dificuldades. Nunca conseguem realizar plena satisfação em suas vidas, ficando sempre um vazio que dizem preencher com tais manifestações encenadas de fé.
A realidade é muito mais cruel do que imaginam ser, pois estão dormentes sob o manto da falsidade das religiões que exploram as últimas fronteiras da humanidade, as vezes apelando para o ridículo.
As dificuldades do mundo atual estão cada vez mais piores. A cada catástrofe surgem duas outras, os países europeus estão em dificuldades propaladas pela recente crise financeira que abalou as principais bolsas do mundo e que fechou bancos nos EUA e e Europa.
Não parece para alguns que o número de catástrofes estão aumentando proporcionalmente ao número de dificuldades que o mundo financeiro está passando? E proporcionalmente ao número de conflitos armados geo-políticos estão acontecendo?
Chegamos ao momento em que o FMI está pedindo dinheiro! Isso me diz alguma coisa muito ruim: Que logo não haverá dinheiro para socorrer países em dificuldades!
Grécia está a beira de falência, Espanha, Portugal e outros países estão com problemas e precisam resolver urgentemente suas economias. fábricas estão pedindo concordatas ou fechando.

Se as coisas continuarem ao ritmo geométrico como vem acontecendo, veremos um colapso na sociedade.
Se em algum momento acontecer de todas as coisas acontecerem ao mesmo tempo, em todos os lugares, e cada país tiver sua cota de problemas multiplicadas, não haverá socorro suficiente que não seja o do famoso 'cada um por si'.
Hoje já vemos o colapso no ensino e na saúde, escolas abandonadas e hospitais falidos já compõem nosso cenário, em breve, quando precisarmos de socorro para diversas áreas atingidas por catástrofes não haverá número suficiente para atender todas as ocorrências. Principalmente se isso vier junto, uma crise econômica que abale toda a estrutura do governo.
Os recentes conflitos nos países muçulmanos revelam o descontentamento das pessoas diante de ditaduras. Alguns sofrem intervenção política e militar de países desenvolvidos mas isso sempre que está por trás interesses econômicos estrategicamente importante para o fortalecimento de blocos políticos.
 
A ameaça de um ataque de Israel ao Irã sob o pretexto de que o Irã pretende construir armas nucleares com seu projeto de enriquecimento de urânio aumentam as expectativas de um conflito nuclear envolvendo as principais potências do mundo atual.
Em todas as vezes que coisas ruins acontecem, não morrem somente pessoas ruins, mas morrem pessoas inocentes também. Por isso, dizer que o aumento desses problemas no mundo não quer dizer Deus vai intervir se não interveio até agora. Em toda a história, o mundo sempre sofreu transformações geo-políticas, reinos e culturas desapareceram antes e nunca houve intervenção divina, em todos os casos tanto pessoas inocentes como perversas sofreram. Talvez citem o Dilúvio como exemplo de intervenção divina, mas não explica porquê em outras localidades da Terra outras culturas relatam um evento similar onde também houve sobreviventes, isso significa que o relato do dilúvio foi deificado por fanáticos religiosos com um evento natural inexplicável para as gerações daquele tempo.
Outros eventos catastróficos quase nunca foram atribuídos ao poder divino do deus judaico-cristão. Depois da suposta vinda do Cristo, esse deus cultuado pela religião judaico-cristã desapareceu! Dizem que Cristo pregou um Deus de amor, sim, é verdade, e é também verdade que o Deus pregado por Cristo não é o mesmo deus do Velho Testamento (VT), mas esse assunto vou deixar para uma outra ocasião.
Qualquer coisa pode acontecer daqui para frente, e todos nós estamos no centro dos acontecimentos. Não adianta especular o que ainda vai acontecer, se vai haver guerra nuclear ou se a água vai acabar e gerar uma nova onda de guerra ou se haverá cada vez maiores catástrofes, mas todos nós, independente de credo, cor ou posição social, todos nós vamos enfrentar. E com certeza, quanto pior for, mais vai exigir de nós como humanidade e isso não vai ser fácil quando todo o sistema entrar em colapso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário